Offline
Vizinho destrói área de convivência de terreiro de candomblé na Zona Oeste do Recife
04/07/2024 13:06 em Novidades

 "Agressão contra o povo de terreiro", denunciou a vereadora Cida Pedrosa

 

Um homem depredou objetos em uma área de convivência do terreiro Ilê Axé Oyá Igbalé Funan, localizado no bairro da Várzea, na Zona Oeste do Recife. Ele foi autuado por depredação e injúria, segundo a Polícia Civil de Pernambuco. 

O vídeo, gravado na quarta-feira (3), mostra as imagens do homem destruindo jarros de plantas e um banco feito de concreto e pneus e foi compartilhado pela vereadora Cida Pedrosa (PCdoB). Ela classificou o caso como "agressão contra o povo de terreiro" e intolerância religiosa. 

Nas imagens, é possível ver o homem, identificado apenas como Tiago, usando uma marreta para destruir os objetos. A pessoa que grava o vídeo pergunta ao homem se ele quer resolver a situação dessa forma.

"Olha aí, tá quebrando as coisas aqui com marreta. Quebrando as coisas do vizinho, tá vendo? Você tá vendo aí, quebrando tudo. É assim que tu quer reagir? É assim, Tiago?", fala o autor da filmagem. 

A voz de outra pessoa surge ao fundo afirmando que a situação deverá ser resolvida em uma delegacia. 

Nas redes sociais, a vereadora Cida Pedrosa chamou as cenas de destruição no terreiro de absurdo. "Me solidarizo com as vítimas. Irei oficiar as autoridades competentes", declarou.

Em publicação feita nesta quinta-feira (4) no Instagram, o terreiro falou sobre a situação. "Qual o mal em querer criar um lugar de convivência para as crianças de nossa comunidade com uma geladoteca (geladeira de livros) e um jardim agradável? Nosso espaço não tira o direito de ir e vir, diz trecho do texto.

"Somos pessoas de paz, só queremos o crescimento de nossa comunidade. Esse homem e a mulher dele tentaram destruir nosso sonho, mas não vão conseguir", acrescenta a publicação.

A Polícia Civil de Pernambuco segue investigando o caso, registrado por meio da Central de Plantões da Capital (Ceplanc). 

"As investigações foram iniciadas e seguem em andamento até a completa elucidação do caso", afirmou a corporação.  Créditos: www.folhape.com.br

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!